Dicas Gravidez
17 jun 2013

Dez problemas de saúde comuns na gravidez

woman sitting holding her head
Todas nós que já tivemos filhos sabemos que alguns sintomas são muito chatos durante a gravidez. Achei essa matéria na internet o máximo, ela lista os sintomas mais comuns na gravidez e que se pode fazer para amenizar os sintomas.


1. Inchaço

– Causa
Durante a gravidez, o volume sanguíneo que circula pelo corpo aumenta cerca de 60%. Esse fenômeno favorece a retenção de líquidos, o que provoca o tão indesejado inchaço em boa parte das gestantes. Nessa hora, é importante ficar atenta ao peso. O recomendável é que as grávidas ganhem de 500 g a 1,5 kg por mês.

– Solução
Se o inchaço for demasiado, é preciso reduzir a ingestão de sal, que contribui para a retenção de líquidos. Além disso, para não engordar além da conta, é necessário manter uma alimentação balanceada e praticar uma atividade física regular – desde que não haja uma contraindicação para isso.

2. Nariz entupido

– Causa
O aumento do volume sanguíneo, associado aos estímulos hormonais próprios da gestação, pode levar ao acúmulo anormal de líquidos nas mucosas nasais. É justamente a formação desses edemas que faz com que a mulher fique fungando mesmo sem estar gripada.

– Solução
Assoar e limpar o nariz com água são medidas quase instintivas de qualquer gestante que sofre com congestionamento nasal. O problema é que nem sempre essas medidas são suficientes. Se você não dorme direito e tem muita dificuldade para respirar, tente fazer uma inalação de soro fisiológico ou vapor. Caso persista o desconforto, existem medicamentos que podem ser usados com moderação e sob orientação médica, caso dos vasoconstritores, que são aplicados diretamente nas vias nasais em forma de soro.

3. Dores

– Causa
O bebê precisa de espaço para crescer. Por isso, a cada etapa da gestação, o útero se expande e provoca desconfortos. Basicamente, ele repuxa ligamentos e comprime vísceras, causando dores lombares, abdominais e laterais. O incômodo não é contínuo. Manifesta-se de forma mais aguda durante o período de acomodação dos órgãos, mas depois tende a perder intensidade, até cessar. Por causa disso, é comum que a mulher tenha, durante os nove meses, entre 15 a 20 surtos de dor.

– Solução
Se a sensação dolorosa for insuportável, os médicos costumam prescrever analgésicos apropriados para gestantes – vale ressaltar que apenas seu obstetra pode receitá-los. Pensar que em alguma hora as dores passam também pode tornar a convivência com elas menos sofrida.

4. Prisão de ventre

– Causa
A progesterona produzida pela placenta para viabilizar a gravidez mexe com o corpo da mulher. Isso ocorre porque o hormônio sexual feminino tem incontáveis efeitos metabólicos. Um deles é o relaxamento muscular das paredes do tubo digestivo, o que dificulta o movimento peristáltico. Em outras palavras, deixa o intestino mais preguiçoso e provoca a famigerada prisão de ventre ou a dificuldade em evacuar.

– Solução
Algumas mulheres já convivem com o problema e a gravidez apenas o agrava. Nesse caso, é importante seguir as orientações médicas. Comer mais fontes de fibras e beber bastante água – pelo menos 2 litros por dia – ajuda, e muito. Alimentos como mamão, laranja com bagaço, maçã com casca, verduras e grãos integrais, especialmente a linhaça, são boas pedidas para auxiliar o bom funcionamento do intestino. Quem preferir pode também incluir na dieta os leites fermentados e iogurtes. São os chamados probióticos, conhecidas armas no combate à prisão de ventre.

5. Tontura

– Causa
A irrigação sanguínea da placenta reduz a força de vazão de todo o sistema circulatório da mulher. Resultado: cai a pressão arterial e a gestante enfrenta uma espécie de letargia. É como se um grande lago se formasse no meio de um rio tempestuoso e o deixasse mais calmo. Além de tontura, a grávida pode apresentar sonolência, indisposição e desmaios. Esse quadro normalmente se acentua no segundo trimestre da gravidez.

– Solução
Existem medicamentos orais prescritos pelos médicos que podem ser carregados a tiracolo – os chamados vasoconstritores. Devem ser administrados naquelas situações em que a vista escurece ou há um mal-estar súbito. Deitar de lado e respirar fundo também são medidas recomendáveis. Para prevenir essa situação, evite fazer movimentos bruscos, como levantar-se rapidamente.

6. Enjoo

– Causa
As náuseas decorrem da adaptação do organismo da gestante à desarticulação hormonal. O aumento da produção da chamada gonadotrofina, substância que garante o crescimento da placenta, a manutenção da gravidez e o desenvolvimento do útero, é um dos responsáveis por esse fenômeno. O hormônio age no sistema nervoso central e, devido a fatores neurológicos, a mulher acaba vomitando.

– Solução
Em geral, a partir do terceiro mês de gravidez, a produção de gonadotrofina cai, reduzindo e muito as indisposições. Para mulheres que sofrem demais com a situação, há os medicamentos anti enjoo, que só devem ser ingeridos com a supervisão médica. Existem alguns truques que funcionam também. Um deles é comer alimentos secos em jejum, antes mesmo de se levantar da cama, como duas bolachas de água e sal. Essa medida simples neutraliza a acidez do estômago e reduz o enjoo matinal. Outro truque muito utilizado é consumir gelo picado. Você pode fazer isso usando um pano e um martelo para amassar as pedras. O gelo dilata a saída do estômago e ajuda a esvaziá-lo, aliviando a sensação de desconforto.

7. Varizes e hemorroidas

– Causa
Com o aumento do volume sanguíneo, os vasos periféricos tendem a se tornar mais visíveis. Paralelamente, a veia que transporta o sangue do abdômen e dos membros inferiores para o coração, chamada de cava inferior, pode sofrer compressão conforme o útero se expande. Esse quadro costuma levar à estagnação do sangue, favorecendo a formação de varizes, principalmente nas pernas e nas veias do ânus, as populares hemorroidas.

– Solução
Para prevenir varizes, o ideal é usar meias elásticas de média compressão, que atenuam a dilatação dos vasos sanguíneos das pernas. No caso do surgimento de hemorroidas, o mais indicado é um banho de assento, que reduz o inchaço e o desconforto: sente cinco minutos em água bem quente e depois mude para água bem gelada. E preste atenção na consistência de suas fezes porque a prisão de ventre acentua as hemorroidas.

8. Corrimentos

– Causa
Há o aumento natural de secreção vaginal durante a gestação. O principal motivo é hormonal, uma vez que a progesterona mexe com o metabolismo das mucosas do canal urinário. Além de irritar a pele, o corrimento também pode ter odor forte.

– Solução

Um banho de assento com 1 litro de água e 2 colheres de bicarbonato de sódio é capaz de neutralizar a acidez vaginal e reduzir a produção das secreções por três ou quatro dias. Mas é preciso repetir a operação sempre que houver necessidade. No entanto, é importante ficar atenta a esse tipo de problema. Caso o corrimento tenha coloração mais amarelada e cause desconforto, procure seu médico. Infecções vaginais podem levar a um parto prematuro.

9. Azia e refluxo

– Causa
Os efeitos hormonais que relaxam a musculatura do tubo digestivo não são responsáveis apenas pela prisão de ventre. Associados à mudança de angulação do canal digestivo em função do aumento do útero, eles também podem provocar o refluxo gastresofágico. Ou seja, o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago seguido de azia ou inflamação. É aquela sensação de acidez e ardor de que muitas grávidas se queixam.

– Solução
Evite frituras, alimentos gordurosos ou muitos doces, cafeína e pimenta, além de álcool e cigarro. Outra medida que ajuda a reduzir o incomodo é não ingerir líquidos durante as refeições. E mais: procure sempre fracionar a alimentação e nunca deitar após comer. Diante da queimação, é preciso ingerir soluções com ação antiácida, mas caberá a um médico de sua confiança definir qual é a melhor opção.

10. Manchas na pele


– Causa
É normal, nessa fase, a concentração de melanina, que é uma pigmentação escura, em áreas como auréolas dos seios, axilas, rosto, região genital e linha média do abdômen, aquela que delimita o umbigo. A melanina também aumenta a sensibilidade da pele ao sol.

-Solução
Não se expor aos raios solares sem necessidade e, quando fizer, usar protetor solar e chapéu. Após o parto, as manchas costumam diminuir de intensidade e desaparecem com o passar do tempo.

Reportagem retirada do site:
Comente via facebook
Deixe seu comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? clique aqui
Topo
Mais Lidos do Blog
Fique conectado com a gente!
  • Veja no blog www.dicaspaisefilhos.com.br algumas dicas de como proteger seus filhos dos perigos do mundo digital. #adolescentesinternet #perigosinternet #perigosonline #perigosdigitais #crimesdigitais #crimesonline #cybercrimes #cyberbullying #cuidadosonline #cresceronline
  • #brincar #criancaprecisabrincar
  • Luisa Mendes, 14 anos, minha filha e suas pinturas inspiradoras. Luisa ama desenhar, pintar e dançar. A arte faz parte da vida dela e me ensinou a pensar sobre a arte na minha vida. Eu e ela caminhos tão diferentes mas sempre tão próximos, cuidando da nossa relação e das individualidades.
Uma boa semana com muita inspiração.
  • #lugardecriançaénaescola
YouTube
Se inscreva!