Diversos Gravidez Saúde
20 jun 2014

Futura mamãe: você sabe quais exames fazer durante a gravidez?

Imagem: R7

Imagem: R7

A gravidez é um momento sublime para a mulher. Imaginar que uma pessoa está sendo gerada dentro da sua barriga é uma mistura de sensações: desde a felicidade até a preocupação. Durante o pré-natal queremos ter certeza de que está tudo bem com o bebê, que não há problemas de má-formação, que ele nascerá saudável. Com os avanços tecnológicos é possível detectar cedo qualquer anormalidade, diminuindo a ansiedade da futura mamãe. O ideal é que os exames sejam feitos ao longo dos noves meses como triagem para detecção de qualquer problema. Você sabe quais exames devem ser feitos?

Um dos mais precisos e indicados é o ultrassom morfológico de primeiro trimestre que deve ser associado a dosagens de marcadores no sangue da gestante. Sua sensibilidade chega até 98% e é possível calcular o risco de síndromes fetais causadas por alterações cromossômicas. “É também importante fazer o teste para detecção de trissomias fetais pela coleta de sangue materno (harmony test). A coleta deve ser feita a partir da décima semana de gestação, podendo detectar Síndrome de Down, Síndrome de Patau, Síndrome de Edwards e alterações ligadas aos cromossomos X e Y, como Síndrome de Turner e de Kleinefelter”, explica Dra. Ana Lúcia Beltrame, especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Reprodução Humana.

Quer fazer um rastreamento das alterações cromossômicas, da hipertensão precoce na gestação e saber o risco para trabalho de parto prematuro? O ideal é o USG Morfológico, que deve ser realizado duas vezes: entre 11 e 14 semanas e entre 20 e 24 semanas. Esse exame é importante, pois avalia detalhadamente toda a morfologia fetal, “identificando determinadas malformações e permite a programação de alguns tratamentos que podem mudar o futuro do bebê”, complementa Dra. Ana Lúcia Beltrame. Com o segundo teste há uma melhor avaliação de algumas estruturas que não puderam ser bem caracterizadas no primeiro morfológico. Há ainda o USG 3D que diagnostica algumas lesões que podem passar despercebidas, como pólipos e miomas no interior da cavidade uterina – também detectados pelo Histerossonografia –, fenda palatina e afastamento dos olhos (com a foto da face fetal em 3D).

Boa parte das futuras mamães também se preocupa com a pré-eclâmpsia, um aumento da pressão arterial durante a gravidez. As consequências da doença são restrição do crescimento do feto, descolamento prematuro da placenta e diminuição do líquido amniótico. “A identificação de pacientes com maior risco para pré-eclâmpsia permite que alguns cuidados sejam tomados para evitar sua forma grave e consequentes complicações”, diz a ginecologista. “O melhor é sempre fazer todos os exames solicitados pelo médico para saber se está tudo bem com o bebê. Com isso, é possível ter uma gravidez mais tranquila e saudável para a mamãe e para a criança em formação”, aconselha.

analucia[3]
Sobre a Dra. Ana Lúcia Beltrame:
A Dra. Ana Lúcia Beltrame é médica formada pela UNIFESP – Escola Paulista de Medicina, mestre em ciências e especialista em ginecologia e obstetrícia pela Faculdade de Medicina da USP.

A profissional participa continuamente de congressos e simpósios nacionais e internacionais, é membro efetivo da Sociedade Americana e Europeia de Medicina Reprodutiva e junto com quatro parceiros, fez parte da equipe responsável pela criação do Centro de Reprodução Humana do Hospital Sírio Libanês.

Atualmente trabalha em seu próprio consultório, é atuante nas áreas de reprodução humana, laparoscopia e endoscopia ginecológica e discorre sobre diversos assuntos na área, como transplante de útero, congelamento de óvulos, check up feminino etc.

Confira mais informações nos canais de comunicação da Dra. Ana:
Site: www.anabeltrame.com.br
Blog: www.mommy2be.com.br
Facebook: pageanabeltrame

By: Rojas Comunicação

Comente via facebook
Deixe seu comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? clique aqui
2 Comentários
  1. 21/06/14 - 20h05

    Gostei muito da matéria da Dra. Ana Beltrame, completa, didática e sem dúvida percebe-se que ela é uma formadora de opinião junto às suas pacientes/famílias. Desta forma, eu como profissional de saúde também, sugiro que a grávida se preocupe com sua saúde bucal, pois têm influência DIRETA sobre o bebê em formação, fato já comprovado e re-comprovado cientificamente. Precisamos lembrar sempre que a boca é um nicho propício a possíveis infecções. O papel do médico, especificamente dos obstetras, na divulgação do pré-natal odontológico é FUNDAMENTAL, pois é ele quem direciona a grávida para todos os outros especialistas e nesta fase as grávidas estão ávidas por informações referentes à sua, mas especialmente à saúde do seu bebê. E vamos ser honesta, o que a obstetra pede, a grávida tem muita boa-vontade pra fazer. A inter-relação entre os profissionais de saúde é o ápice do melhor atendimento e quem sempre ganha é a paciente.

    • 21/06/14 - 22h49

      Mara, muito bom! Muito bem lembrado.
      Beijos e Obrigada Gabi

Topo
Mais Lidos do Blog
Fique conectado com a gente!
  • Linda demais essa parceria da @tudo_para_boneca e da @elasqueremlasfadas roupa menina e boneca!
Você encontra na @monkinoaoficial e @cirandinha_ciranda 
#post #dicaspaisefilhos #família #mensagem #postdodia #escola #educação #family #education #kids #psicopedagogia #criancas #blogdematernidade #maternidade #desenvolvimento #tudoparaboneca #maeefilho #irmaos #pais #paternidade
  • Boa reflexão
YouTube
Se inscreva!