Diversos
01 abr 2016

Mães de primeira viagem: Os 9 erros mais comuns

Imagem: Gabriella Brandão

Imagem: Gabriella Brandão

Tudo o que é novo pode nos deixar verdadeiramente apavorados. E se a mudança em questão se tratar de outra vida que depende de nossas decisões? Todos temos muito medo de errar e quando o assunto é a maternidade, este medo apenas cresce. Afinal, quando se trata da vida e dos cuidados dos nossos pequenos, será que podemos errar?

O post de hoje se propõe a abordar alguns dos mais comuns erros da mamãe de primeira viagem e, de certa forma, traz algumas dicas para você não cometer esses mesmos erros. Muitos dos pontos abordados, você já deve ter lido no seu “Livro do Bebê”, mas sempre vale reforçar alguns pontos. E, para isso, a primeira coisa a ser feita é traçar a um ponto de partida. Acompanhe!

O medo de errar

Todos nós temos exatamente o mesmo medo: o de esquecer as leituras e conversas com o médico ou com familiares na hora de cuidar do bebê. É como se cada momento com o bebê fosse um teste final e cada erro fosse prejudicar a vida da criança. É por isso que frisamos aqui que a maternidade não é uma prova, mas uma experiência de constante desenvolvimento e aprendizado. Para a mãe e para o bebê. É questão de entender cada momento e isto exige certa serenidade para não criar sofrimento desnecessário.

Lembre-se: Você não precisa ter medo do recém nascido. Ele pode ser indefeso, mas também não é feito de papel. Além disso, Por mais que ele ainda não se comunique muito claramente, desde que você aprenda a entender sua forma de se comunicar, tudo ficará bem. Mesmo.

Vamos então à nossa lista dos nove principais erros cometidos pela mãe de primeira viagem.

I – Duvidar de si mesma

Após os 9 meses – ou talvez menos – de gestação, não é só o corpo que sofre algumas mudanças. A mãe, por natureza, é mais envolvida com os cuidados com o bebê e seus sentidos ficam um pouco mais apurados. O sono fica mais leve e o corpo fica muito mais resistente ao cansaço ou às dores. É como se a gestação fosse apenas uma preparação para o que estava por vir. O principal erro das mães de primeira viagem é duvidar desse amadurecimento. Por mais inexperiente que ela seja, a mãe possui instintos e estes estão certos, na maioria das vezes. A dica é: Se o seu bebê confia em você, por que você não vai confiar?

II – Deixar o pai de fora

Como dito anteriormente, a mãe está sempre mais envolvida com os cuidados com o bebê. Porém, o pai exerce um papel fundamental desde o início da gravidez. Inclusive, o bebê já aprende a identificar a voz dele ainda na barriga da mamãe. O segundo erro mais comum é excluir o pai no início. Vale lembrar que, por mais preponderante que seja o trabalho da mãe, o pai deve participar das mais diversas atividades, tais como trocar fraldas, dar banho, fazer o bebê dormir, etc.

III – Não cuide apenas do bebê

A experiência da maternidade é de uma intensidade incrível que, na maioria das vezes, domina completamente o cotidiano feminino com todas as obrigações e preocupações pertinentes ao processo. O erro cometido principalmente pela mamãe de primeira viagem é esquecer que o bebê precisa de uma mãe saudável, disposta e atenta. Para isso, é necessário que a mãe consiga cuidar de si mesma. Além de cuidar da alimentação, é importante voltar a realizar alguma atividade física assim que possível. Isto fazer com que a mãe volte mais rapidamente ao peso de antes da gravidez, além de auxiliar na produção do leite e até na melhora da autoestima. Uma mãe que descuida da própria saúde, direta ou indiretamente, está descuidando da saúde do bebê.

IV – Não cuidar da alimentação

Esta dica está intimamente ligada à terceira dica. Ao alimentar-se mal, a mãe está comprometendo a qualidade do leite materno. É importante incluir bastante líquido à dieta, além de aumentar um pouco a ingestão calórica. Suas necessidades aumentam, aproximadamente, 300 kcal. O médico vai auxiliar com algumas dicas e recomentações, mas o principal você já está ciente: alimente-se bem, beba bastante água e descanse.

V – Não fique tanto tempo em casa

Por medo ou receio, muitas mães costumam se isolar nos primeiros meses de vida do bebê, mesmo após a liberação do médico. Por isso acabam saindo muito pouco e até recebendo poucas visitas. O resultado disso pode ser catastrófico. Nesses casos, as mães podem tender a depressão devido ao tempo que passam sozinhas com os bebês e estes podem demorar mais para desenvolver seu sistema imunológico, ficando doentes com mais frequência. Se o médico liberou, não há porquê ficar em casa. Faça pequenos passeios com o bebê. Assim, ele terá oportunidade de criar mais anticorpos, necessários para o desenvolvimento de seu sistema imunológico e você poderá curtir mais o início dessa experiência. Você não está sozinha!

VI – Seu bebê não é um relógio

Nos primeiros meses de vida, não há como impor horários ao bebê. No início, eles seguem seus próprios instintos: mamam quando sentem necessidade, acordam e dormem quando precisam e o mesmo vale para seus intestinos. Porém, isto também não quer dizer que você precise ir correndo ao primeiro segundo de choro do bebê. É uma questão de dosar a atenção com um pouco de bom senso. Não funciona forçar o bebê a ter uma rotina, mas também não se pode impedir que ele, aos poucos, crie a capacidade de se reorganizar.

VII – O leite materno é rico!

Até o seis meses de vida do bebê, o leite materno deve ser oferecido sempre que a criança estiver com fome ou sede. Sempre. O leite materno é a principal fonte de defesa contra bactérias ou vírus e é o que garante a melhora do sistema imunológico do bebê. Não existe leite “fraco” e a produção de leite vai se ajustar às necessidades da criança – ou seja, desde o nascimento do bebê, a produção vai aumentando justamente para satisfazer o bebê. Não subestime o poder do leite materno no desenvolvimento do seu bebê.

VIII – Comparar demais

Este é um dos erros mais comuns na lista da mãe e do pai de primeira viagem. Pela falta de experiência, é comum que os pais comecem a comparar os bebês com outros, já durante a primeira gravidez do casal. Isso pode gerar angústia à mãe e até um certo desgaste com os membros da família. É claro que é válido ouvir conselhos de outras mães, visto que elas já estão um pouco mais experientes. Mesmo assim, vale ressaltar que os bebês são únicos e possuem personalidade e desenvolvimento distintos.

IX – Não priorizar o que é importante

A mamae de primeira viagem ficará deslumbrada com todos aqueles produtos nas lojas especializadas. Isto é um fato. Por isso, muitas vezes, acabamos nos empolgando e adquirindo diversos produtos que, na verdade, nem terão utilidade. E, por incrível que pareça, conseguimos esquecer o que é mais importante. Não caia nesse erro. Pegue dicas com outras mães, faça listas e economize. Sim, economize. Ele não precisa de 6 móbiles diferentes. Você vai notar que precisará apenas de itens que realmente facilitem as coisas e que os momentos com o seu bebê valem muito mais do que 90% daqueles produtos que você viu e pensou em comprar.

Os erros que selecionamos aqui, não estão apenas direcionados ao cuidado com os bebês, mas à forma com que você se relaciona com ele. Afinal, não é esta a nossa maior preocupação?

E você, conseguiu lembrar de mais algum erro que se encaixa nesta lista? Deixe uma mensagem para mãe de primeira viagem. Assim, com essa troca de informações, nos prevenimos do erro e aproveitamos ao máximo a incrível experiência que é a maternidade.

Comente via facebook
Deixe seu comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? clique aqui
Topo
Mais Lidos do Blog
Fique conectado com a gente!
  • Muito amor numa foto só! 💖💖
  • Como não compartilhar....
YouTube
Se inscreva!