Diversos
27 dez 2013

A volta ao trabalho pós licença maternidade – Mãe Amiga!

mae_amiga_header
Imagem1

Hoje é o segundo post da coluna Mãe Amiga! A Mãe Amiga de hoje é a Mirella, mãe do Bernardo. Um pouquinho sobre a Mirella: Uma mulher que sempre sonhou estar vivendo esse momento tão especial, a maternidade. Uma mãe 100% presente quando está ao lado do filho, mas também “ausente”, que trabalha fora e precisa se “separar” dele por algumas longas horas.

Voltar ao trabalho depois de 6 meses intensos, 24 horas com o grande amor da minha vida, com a missão de cuidar desse pequeno ser tão amado….momento difícil!!!! Não posso dizer que foi traumático, extremamente difícil, apenas difícil. Sentia muita falta do trabalho, da minha rotina fora de casa e algumas vezes me sentia culpada por isso. Como posso achar bom ter que sair de casa para trabalhar e ter que deixar o meu filho com uma babá e longe de mim? Ele precisa de mim. Não, não. Essa separação de alguma forma é importante para ambos, ele não precisa que eu esteja 24 horas ao seu lado.

Além disso, o meu retorno ao trabalho foi amenizado, pois consegui negociar um novo horário de trabalho, que será temporário, mas super importante nessa transição difícil: trabalhar das 10:00 às 12:00 em casa e das 13:00 às 19:00 no escritório. Ou seja, mesmo tendo que trabalhar em casa de manhã, o meu filho pode me ver dentro de casa, mesmo que não esteja ao seu lado, cuidando dele. Ele sabe que estou ali, ao seu lado de alguma forma. Posso dar sua vitamina da manhã, brincar um pouco com ele às 06:30, fazê-lo dormir por volta das 07:00 e levá-lo para passear às 08:30. Depois, me concentro no trabalho, mas dentro de casa.

Para essa “separação”, optamos por ter uma babá e criamos uma rotina para ele. Ele tem hora para passear, assistir desenho, brincar no tapete do seu quarto com seus brinquedinhos, tomar banho, almoçar, lanchar, jantar e etc. Criamos um cardápio semanal com todas as horas e o que ele deve comer, para que ele pudesse ter uma alimentação balanceada e para que tivéssemos controle do que ele comeria, principalmente nos momentos que estivéssemos longe dele. Criamos, também, uma forma de saber o que acontece com ele nos momentos que não estamos presentes, a criação de uma agenda (tipo essas que as creches adotam), onde eu sei se ele estava calmo ou agitado, quantas vezes fez cocô, quantas vezes dormiu, se aceitou bem as papinhas, frutas e etc.

Mas…mesmo amando o trabalho, saindo para trabalhar fora de casa (isso me faz sentir muito bem), sinto uma falta tão grande à tarde que fico o tempo todo pensando na hora de voltar para casa e ser recebida com tanto sorriso e empolgação (ele quase pula do colo de quem estiver de tanta felicidade). Momento único e especial.

Cuidar dele à noite, de madrugada…cansativo demais, mas algo inexplicável, um amor infinito. Colocá-lo no berço dói, pois a vontade é de ficar com ele no colo, olhando aquele anjo dormindo nos meus braços, como forma de compensar as horas que precisei estar longe dele. Esse é o momento quando eu agradeço a Deus por ele estar ali ao nosso lado, pedindo proteção para o nosso anjo e que ele seja feliz sempre, que possa ser um menino de moral elevada, que ame ao próximo como a si mesmo, que possa ser um menino/homem que fará diferença nesse nosso mundo.

mae_amiga_header
Se quiser participar da Coluna Mãe Amiga, mande seu relato para dicaspaisefilhos@gmail.com será um prazer! Estarei aqui com a coluna mãe amiga sexta feira de quinze em quinze dias. Até o próximo relato. Beijos

Comente via facebook
Deixe seu comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? clique aqui
2 Comentários
  1. Mirella
    27/12/13 - 09h51

    Gabi, amei. Vou escrever aquele sobre a viagem. Bjs mil

    • 27/12/13 - 10h43

      Fico feliz que tenha gostado, eu é que agradeço. Vou esperar o outro. Beijos!!

Topo
Mais Lidos do Blog
Fique conectado com a gente!
  • Amigos da vida 💖
70 anos da Tia Rutinha!!
  • Bom dia 💖💖💖🙏🏻🙏🏻
  • Boa semana
YouTube
Se inscreva!