A lancheira perfeita: Como preparar um lanche saudável

Postado por Gabriella em Saúde
A lancheira perfeita: Como preparar um lanche saudável

A lancheira perfeita: Como preparar um lanche saudável

Quem nunca ouviu um “quero levar salgadinho!” que atire a primeira pedra. Sabe aquele momento em que pensamos “é só comprar uma lancheira infantil, colocar uma fruta e um iogurte, e pronto”? Não é tão simples assim. Precisamos pensar em diversas variáveis, tais como: o material da lancheira, variedade e qualidade de alimentos, entre outros. Aliás, e os gostos das crianças, onde ficam? Bem, o post de hoje é dedicado a apresentar algumas dicas para preparar a lancheira das crianças e aliar os benefícios de um lanche saudável às preferências das crianças.

Fazemos o possível!

A hora de levar as crianças para a escola é sempre sinônimo de correria. Muitas vezes, principalmente quando as crianças estudam de manhã, não é possível preparar um lanche tão nutritivo quanto gostaríamos. Às vezes, até tentamos, mas a criatividade se esgota com alguns dias. Conseguiu se ver nessa situação? Não se preocupe. Milhões de pais e filhos se encaixam nesse contexto.

As crianças estão em constante fase de crescimento e a alimentação delas é muito importante. Uma alimentação inadequada não é questão de estética para as crianças, mas um fator que pode influenciar seu crescimento, prevenção de doenças e até afetar sua capacidade de concentração.

Comer bem apenas nas principais refeições não é o suficiente e aí está a importância do lanche: a criança que fica muito tempo sem comer, pode perder peso, se sentir mais cansada e ter dificuldade de concentração. Uma criança que come demais entre as refeições pode acabar ganhando peso, o que pode trazer outras complicações, como insônia e o aumento para o risco de doenças como o diabetes. Recomenda-se que a criança, assim como os adultos, se alimente a cada três horas.

Quanto mais completo e equilibrado for o lanche da criança, mais saudável será a sua alimentação.

Que tal se programar?

Em vários assuntos, uma das primeiras dicas abordadas será sempre: “converse com seus filhos”, e isso vale, também, quando se trata de uma alimentação saudável. Entender as preferências dos seus filhos e, ao mesmo tempo, explicar a importância de suas escolhas é fundamental para uma boa alimentação.

Pense, por exemplo, em: uma criança de cinco ou seis anos, que constantemente pede que seu lanche tenha o vilão mais amado pelas crianças: o refrigerante. Esta é uma idade na qual podemos dialogar com as crianças para sugerir um lanche saudável, sugerir outra opção e, até mesmo, negociar uma quantidade apropriada para o consumo da bebida.

Para que isso funcione de forma ainda mais eficaz, nossa primeira dica é: Faça um planejamento semanal ou quinzenal. Além disso, não é difícil encontrar receitas saudáveis para crianças. Sente com seu filho e coloque no papel as opções de frutas, sucos, lanchinhos e até doces que eles preferem. Dessa forma, fica mais fácil para se programar, principalmente com as compras, e criar um cardápio semanal saudável. Falando em compras: já comprou a lancheira?

A Melhor Lancheira

Aqui estão as nossas dicas para comprar e conservar a lancheira – e acessórios:

1. Lancheira térmica não é “frescura”. Se possível, tenha preferência por essa opção. Ela conserva os alimentos até o horário em que eles vão consumí-los e, de certa forma, até expande o número de opções que temos para o lanche. Caso a lancheira não seja térmica, procure usar materiais práticos e apropriados: Papel filme para embrulhar o sanduíche, tigela com tampa hermética.

2. Bebidas? Sempre em garrafas térmicas. Assim, você evita a necessidade de levar sucos ou iogurtes industrializados. Ainda vamos discutir a questão, mas, acredite, a garrafa térmica é indispensável, viu?

3. Todos os dias, quando seu filho chegar da escola, opte por passar um pano úmido na lancheira, já deixando limpa para o uso no dia seguinte. Os acessórios: Garrafa d’água, Talheres, potes e garrafa térmica devem ser lavados todos os dias. Assim, você evita o contato dos alimentos com bactérias e outros microrganismos.

Com essas três dicas, você evita que, independente do que foi escolhido, os alimentos estraguem ou que não estejam frescos na hora em que a criança for consumir.

Agora sim: os tais alimentos saudáveis

A hora de escolher os alimentos é a parte mais difícil. Provavelmente, ao sentar com a criança e questionar sobre seus gostos, a resposta foi algo como: “chocolate, bolo, refrigerante, salgadinho, ‘danoninho’ e achocolatado”. Isso é normal e com certeza você já tentou criar o hábito de substituir essas opções por: Pêra, banana ou maçã. Certo?

Normalmente, optamos por frutas práticas para mudar o hábito das crianças. O problema acaba sendo, justamente, a falta de criatividade. A criança enjoa dos alimentos que escolhemos e acabamos cedendo aos seus pedidos por: açúcar. E as ‘bisnaguinhas’ com requeijão? Eles adoram e, apressados, acabamos pensando que é uma boa opção. Não?

Vamos às dicas para preparar um lanche para crianças que seja, ao mesmo tempo, bonito, gostoso e nutritivo:

1. Frutas: chega de banana e maçã. Por mais práticas que sejam essas opções, as crianças enjoam rapidamente. O ideal é levar frutas que, mesmo cortadas, não escurecem e os potinhos herméticos são nossos principais aliados. Nossas sugestões são: manga, melão, melancia e mamão. Além de saborosas, quando cortadas, ficam muito bonitas, abrindo o apetite das crianças. Uvas, morangos, e mexerica (tangerina) também são ótimas opções. Lembre-se: a criança também come com os olhos!

2. Bebidas: aqui está a utilidade – e necessidade – da garrafa térmica. Com uma garrafa térmica, é possível mandar para as crianças: suco natural, leite com achocolatado – não esqueça que, geralmente, a opção industrializada contém menos leite e muito mais açúcar –, chá gelado, etc. O suco é sempre um tabu, visto que muitas opções perdem os nutrientes e ficam sem gosto caso não sejam consumidos na hora. Nesse caso, prefira os sucos de maracujá, acerola, goiaba e abacaxi, pois são frutas que demoram mais tempo para estragar. Suco de uva integral ou água de coco de caixinha, vendidos em supermercado, também são ótimas opções. O sabor é doce, mas não contém adição de açúcar. Basta se atentar ao rótulo.

3. Carboidrato: eis aqui a parte mais importante do lanche. É o carboidrato que, geralmente, oferece energia para as crianças. Entre as dicas, sugerimos substituir as bisnaguinhas industrializadas por aqueles pãezinhos de cenoura ou mandioquinha, vendidos no supermercado ou padarias. São bastante saborosos e muito mais nutritivos. Para não enjoar, podem ser substituídos por pão de forma integral, pão sírio ou, até mesmo, uma fatia de bolo caseiro.

Como recheios para os lanchinhos, pode-se optar por patês saudáveis – base de cream-cheese, queijo cottage ou creme de ricota com cenoura, atum, salsinha, etc. –, queijo branco, etc. O ideal é evitar os embutidos ou queijos gordurosos.

Outras dicas:

Às vezes, as crianças ainda sentem falta de outras opções. Aproveite mais algumas dicas de como mandar o lanche para os pequenos:

• O iogurte pode ser colocado na lancheira, sem estragar. Basta que deixe no congelador por algumas horas, até congelar. Ao acordar, tire do congelador e coloque-o na geladeira. Até a hora do recreio, o iogurte já terá descongelado e estará fresquinho pra ser consumido.

• Quando a criança estuda em período integral, a coisa complica um pouco mais. Embora as escolas, geralmente, tenham geladeiras para o lanche dos pequenos, as crianças podem sentir vontade de beliscar algo durante o dia. Frutas secas, castanhas ou amêndoas são ótimas opções, pois podem ser mandadas em saquinhos fechados. Prático e gostoso!

• Como ultima dica, deixamos um lembrete. Tente evitar, ao máximo, os embutidos, como: presunto, peito de peru, peito de frango, salame, etc. São opções muito ricas em sódio e gordura e estragam com muita facilidade. O pãozinho pode ser recheado com requeijão, queijo branco, patês, etc.

A alimentação e bem-estar dos pequenos estão intimamente ligados e é justamente por isso que o lanchinho é tão importante. Mas e vocês? Como estão preparando as lancheiras dos pequenos? Compartilhe conosco as suas dicas e receitas!

Gabriella
14.03 2016
Comentários no Facebook
0 comentários
Deixe um comentário
* Não será divulgado