Já é hora de tomar banho sozinho

Postado por Gabriella em Cuidados Diários
Já é hora de tomar banho sozinho

Já é hora de tomar banho sozinho

O bebê chegou e uma das primeiras coisas que procuramos saber é: como dar banho em recém nascido? Pois é, o tempo passou bem rápido. Eles já são crianças espertas, decididas e… Independentes? Bem, para algumas tarefas, eles já estão bem grandinhos, não?

O post de hoje vem para tratar da hora certa de os pequenos começarem a tomar banho sozinhos e para trazer algumas dicas para tornar o processo um pouco mais fácil.

Eles estão crescendo!

Há pouco tempo, dávamos comida na boca, trocávamos suas fraldas, escovávamos seus dentinhos e, também, dávamos banho. Agora, eles já estão com 4 ou 5 anos. Será que eles já podem tomar banho sozinhos?

No início, ficamos cheios de receio ao pensar em deixá-los fazerem suas tarefas sozinhos. Bem, eles não são mais bebês. Quando eram, era muito importante que tivéssemos todo esse cuidado com eles. Porém, quando a criança vai amadurecendo, precisamos deixar de superprotegê-los. Caso contrário, eles acabam sendo privados das dificuldades inerentes a cada uma das fases do seu desenvolvimento.

Segundo especialistas, o desenvolvimento das crianças envolve uma série de marcos fundamentais. Esses marcos são as conquistas deles. Por exemplo, o primeiro passinho, que o levou a andar e que, posteriormente, o levou a correr foram apenas pequenos marcos que os preparariam para os próximos desafios.

Se você está considerando deixá-lo tomar banho sozinho, provavelmente, ele já consegue ir ao banheiro e lavar as mãos sozinho. Correto? Se for o caso, isso comprova que ele já percorreu os primeiros passos e está pronto para o novo desafio.

Por onde começar?
Na realidade, muitas crianças já tem essa vontade. Acontece que, por vezes, preferimos dar o banho neles, por ser um pouco mais rápido e prático do que deixa-los fazerem sozinhos. É um erro muito comum, mas ainda um erro. O ideal é que incentivemos eles a fazerem as atividades sozinhos.

É claro que a criança não começa a tomar banho sozinha, da noite para o dia. Existe uma série de cuidados que precisamos tomar, até mesmo para garantir a segurança deles. Conferir a temperatura da água e comprar um tapete anti-derrapante é um primeiro e importante passo.

Todo o processo deve ser monitorado de perto, é claro. Começando pelo fato de a competência deles para se lavarem sozinhos ainda ser um pouco questionável. Lembrá-los de todas as partes do corpo e mostrar como fazer é o mínimo – e máximo – que devemos fazer.

É como trata-los como adultos, mesmo tratando-os como crianças. Isto é, expressar o cuidado e o carinho que temos pelas crianças, mas, de certa forma, demonstrar que está ali para ajudá-lo apenas se for necessário.

Deixe os brinquedos próprios para o banho no box, pelo menos no início. Não vai ser um problema. A atenção, de fato, precisa ser dada apenas aos produtos utilizados e com o risco de escorregar. Como já foi dito – mas não custa reforçar: supervisão, sempre!

Se eles ainda não chegaram nessa idade, o que pode ser feito é dar um pequeno espaço pra eles. Enquanto eles tomam banho, deixe-os brincando sozinhos, por dois ou três minutos. Claro, observando-o de perto. Mesmo que ele ainda esteja brincando, ele vai tendo a percepção de como é fazê-lo sozinho.

E se a resistência for deles?

Será que já paramos para pensar que a criança, até certa idade, não reconhece a importância dos hábitos de higiene? Pois bem, na maioria das vezes, eles acabam associando os hábitos de higiene com as regras que os pais impõem a elas. E isto é perfeitamente normal.

É preciso que os hábitos de higiene sejam colocados à criança como benéficos e até prazerosos, nunca como uma punição ou obrigação. Numa primeira fase, apenas, vale muito mais a pena premiá-lo, caso tome banho, do que ameaça-lo. Dê o exemplo a ele e mostre bons hábitos de higiene. Um bom exemplo é o primeiro passo.

Deixemos, então, algumas dicas para que eles deixem de pensar que a hora do banho é apenas mais uma obrigação:

1. Compre os produtos de higiene com eles. Deixe os escolherem a escova de dentes do super-herói (ou princesa) favorito, o shampoo do personagem favorito, a esponja grande e colorida, entre outros. É como se um ambiente já fosse preparado para ele. São pequenas coisas que tornarão o hábito do banho mais divertido. Como se ele não precisasse parar para ir tomar banho.

2. Incentive-o a usar todos esses utensílios comprados. Não é apenas para ele brincar, mas não deixa de ser uma boa ideia. Crie um momento lúdico, do tipo: “o super-herói do shampoo vai ajudá-lo a ficar super limpo!” ou “o sabonete da princesa vai te deixar parecida com ela!”. São coisas simples, mas que empolgam bastante a criança.

3. Em casa, tente criar um hábito saudável. Não é apenas questão de horário. Que os pais e irmãos mais velhos expressem para a criança que o horário do banho é algo bom e divertido. Assim, a criança passa a assimilar que o banho pode ser prazeroso e divertido pra ela também.
Crie brincadeiras e jogos. Um bom jogo de banho é perguntar a eles qual será a próxima parte do corpo que ele vai lavar. Ele Se acertar, elogie-o e demonstre estar empolgado. Caso ele erre, apenas indique o que fazer, sem corrigi-lo.

Seguindo essas dicas, não apenas cuidamos da saúde e higiene dos pequenos, mas os incentivamos a serem mais independentes e responsáveis.

Pequenos estímulos, grandes avanços

As crianças ficam entediadas com uma frequência impressionante. Quando a criança tem sempre um adulto por perto, fazendo as tarefas que deveriam ser suas, ela acaba perdendo o interesse em fazê-las. Apenas, observe. Por um tempo, eles pedem e choram, dizendo que querem fazer sozinhos. Depois, o choro dá lugar a certa indiferença.

Além disso, quando isso acontece, pode chegar, de repente, o momento em que não há um adulto para fazer as tarefas pelas crianças. Isso as deixa perdidas, sem rumo. Por isso é tão importante que saibamos dosar o grau de dificuldade de suas tarefas. Uma criança superprotegida, aos poucos, perde a criatividade e se torna menos espontânea.

Criar desafios para as crianças é algo que funciona, justamente, por envolver as tarefas que a criança consegue fazer sozinha, mediante algum estímulo. Claro que precisamos, também, dosar um pouco as brincadeiras, caso contrário, a criança pode se tornar extremamente competitiva.

Em suma, é preciso dar espaço para as crianças. Afinal, nós as criamos para o mundo, certo? É como ensiná-las a andar de bicicleta: você o solta para que ele consiga aprender, mas está sempre presente caso ele caia e precise de ajuda para se levantar.

E vocês? Como fizeram para que os filhos tomassem banho sozinho? E para quem ainda não conseguiu, qual está sendo a dificuldade. Compartilhe conosco as suas dicas e sugestões.

Gabriella
04.01 2016
Comentários no Facebook
0 comentários
Deixe um comentário
* Não será divulgado