Bebês e Crianças Cuidados Diários
21 maio 2014

Como ensino a Lulu sobre as situações de perigo: minha dica de mãe para mãe

Olá! Quem vai escrever hoje aqui no blog é a Mel, do blog Born to Rock. Essa é uma parceria muito bacana do blog e estará aqui conosco numa quarta sim outra não, espero que gostem.

Sou Mel, mãe da Lulu, psicóloga e baiana morando em Los Angeles. Born to Rock surgiu da vontade de dividir com outras mães e pais todas as novidades desse mundo de gente pequena com leveza, descontração e diversão! No blog divido minha paixão por moda, décor, fotografias, idéias criativas, festas, tendências do mundo fashion, além de dicas de produtos!!! Se você também curte esse mundo de gente pequena junte-se a nós!!!

Essas frases fazem parte do seu cotidiano??? ”Não mexa aí”, “não pise aí “, “não faça isso”, “não faça aquilo” Imagino que sim e elas fazem do meu também. Elas fazem parte do cotidiano de todas as mães. O que eu vim dividir hoje com você é uma nova forma de ajudar o seu filho a identificar as situações de perigo ao invés de simplesmente dizer um “não” pra tudo.

Acredito que não existe fórmula pronta para a criação dos filhos, mas quando algo dá certo aqui em casa gosto de dividir com você pois de repente algo que serviu aqui, pode servir por aí também. Eu tenho usado essa abordagem com a Lulu aqui em casa e tem dado ótimos resultados.

APRENDENDO POR MEIO DO ERRO SEM RISCO

Ninguém pode ficar a vida toda atrás dos filhos pra dizer o que fazer e o que não fazer. Um dia seu filho vai pra escola e você vai sentir muito não estar lá para evitar que ele passe por qualquer situação de perigo. Sendo assim eu acredito que quanto mais a Lulu for preparada sobre as situações de perigo, mais ela terá chances de evitá-las.

Na maioria das vezes dizer o “não” para uma criança não tem muito significado. Já experimentei e simplesmente ela tinha ainda mais vontade de fazer. Acho que toda criança fica ainda mais tentada a fazer algo quando ouve um “não” pelo simples fato de desafiar os limites. Vamos falar a verdade…todo adulto também…rs…

O que eu tenho feito com a Lulu é deixar ela aprender com os erros porém apresento pra ela situações onde ela vai aprender de maneira supervisionada e não vai correr riscos. Vou dar um exemplo: Lulu adorava entrar na cozinha e abrir a porta do forno. Tentei algumas vezes o “não” sem sucesso. Um dia coloquei um bolo pra assar e quando o forno ainda estava começando a ficar quente, eu aproveitei pra ensinar a Lulu. Primeiro encostei a minha mão e depois eu deixei que ela encostasse a mãozinha dela rapidamente pra ela ver o quanto ficava quente. ( Lógico que numa temperatura que ela não iria se queimar). Ela repetia várias vezes “muito quente mamãe”.

Depois desse dia ela passa perto do forno e repete “muito quente mamãe”. Ela nunca mais encostou a mão alí. Acho tão interessante quando levo a Lulu na casa de alguma amiga e ela passa pelo forno e repete “muito quente mamãe”. Ela sabe exatamente que não pode pegar alí. Ela simplesmente entendeu o motivo.

Lógico que não dá pra usar essa técnica simplesmente pra tudo, mas dá pra usar em muitas situações. Quando me deparo com alguma situação em que não posso ensinar dessa forma procuro contar pra ela uma historinha bem curta de forma que ela entenda.

APRENDENDO POR MEIO DE UMA HISTÓRIA COMO EXEMPLO

Por exemplo: Em cima da estante tem um vaso de louça que ela fica mirando pra pegar. Ao invés de tirar o vaso de cima da estante eu contei pra Lulu uma historinha assim “A mamãe foi pegar o vaso e ele caiu e machuchou a mamãe e fez um dodói”. Contando através de um exemplo é uma outra forma de mostrar pra ela que aquilo é perigoso. Não posso dizer que funciona todas as vezes e para todas as coisas, mas posso dizer que funciona pelo menos 80% mais do que simplesmente dizer um “não pode”.

APRENDENDO ATRAVÉS DO EXEMPLO DE OUTRAS PESSOAS DA CASA

Quando acontece algo com alguém aqui de casa, mostro pra ela no exato momento pra ela entender. Outro dia cortei meu pé na cerquinha que separa a sala, da porta de saida de casa. Logo mostrei pra Lulu e falei “mamãe machucou o pé porque foi correndo e bateu na cerquinha”. Ela ficou parada olhando. Chamei ela pra colocar o band-aid junto comigo.

O ser humano está desacostumado a aprender com seus erros. Outro dia li uma reportagem de Harvard que dizia que somos programados para achar que errar é ruim. Tentamos esconder os nossos erros ao invés de aprendermos com eles. Que criança aprende a andar sem cair??? A falar sem errar? A escrever sem cometer falhas? O erro é muito importante pro desenvolvimento da criança.

Dessa forma quando Lulu faz algo de errado e tem uma consequência negativa. Ao invés de ficar julgando e dizendo “viu o que aconteceu?” Eu simplesmente ensino pra ela de maneira bem simples que é normal errar e ensino o que podemos aprender com aquele erro. Muitos pais vão achar mais fácil gritar, mas te convido a experimentar essa forma e me contar o seu resultado.

Se for testar quero que você me conte aqui o resultado. Vou ficar muito feliz em saber que pude ajudar de alguma forma!

ps: Coloquei a Lulu na aula de ginástica. É uma ótima forma de trabalhar as noções de perigo, além do desenvolvimento motor, cognitivo e um ótimo espaço pra socialização!!! Ela tá amando!!!

born_to_rock_aprendendo_riscos_2

Beijão,

Comente via facebook
Deixe seu comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? clique aqui
Topo
Mais Lidos do Blog
Fique conectado com a gente!
  • É difícil entender que essa luz está conosco e acessa. Mas é preciso. Sem fé não vamos a lugar nenhum....
  • A @tudo_para_boneca estará lá cheia de novidades e promoção!! Não perca
  • Boa noite
  • Bom dia!!! Boa semana 🕊🕊
YouTube
Se inscreva!