Alimentação Cuidados Diários Saúde
10 nov 2014

Alguns cuidados na alimentação do seu filho

Alimentação Infantil - Dicas Pais e Filhos

Fonte: Grupo Lenus

A preocupação com a alimentação dos filhos é um assunto que preocupa e muito as mães, eu sou uma delas!Como tudo na vida acredito no equilíbrio, mas o que precisamos estar muito atentos sempre é que as crianças aprendem muito mais com o que vivenciam do que com que falamos à elas. Aqui em casa confesso que quando quero comer alguma coisa que não gostaria que elas comessem por não ser bom para saúde, penso mil vezes antes de comer e normalmente escolho um horário que elas não estão. Cuido muito da minha saúde, mas é claro que às vezes me dá uma vontade de comer alguma “besteira”.

Essa semana recebi uma pauta muito bacana sobre alimentação infantil e gostaria de compartilhar com vocês. É a visão de uma nutricionista e algumas dicas que devemos tomar cuidado na alimentação. Espero que seja tão útil para vocês como foi para mim.

“Segundo estudos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE – 2008/2009), uma em cada 3 crianças, de 5 a 9 anos, apresentam sobrepeso. Mas será que o sobrepeso é o único fator determinante para identificarmos hábitos alimentares ruins? “Cuidado! Às vezes seu filho pode estar dentro do peso ideal, mas com a saúde pedindo socorro”, afirma Marcela Anverso, nutricionista infantil do Centro de Nutrição Flávia Cyfer.

Quando adultos, estudos também indicam que a atual geração de crianças terá uma expectativa de vida menor se comparada à de seus pais. Além de maior número de doenças crônicas, em razão de hábitos alimentares inconsequentes. “Um dos culpados é a falta de interesse quando o assunto é alimentação. Acesso restrito à alimentos saudáveis e falta de conhecimento dos pais a respeito de como deve ser uma boa alimentação também são fatores que geram danos”, explica a nutricionista.

Além disso, a influência da publicidade na venda de produtos industrializados não pode ser depreciada. Estudos apontam que esta é uma das principais causas da obesidade infantil, visto que os anúncios em geral estimulam a venda de alimentos que não são saudáveis. Outro fator que deve ser destacado é o fato da maioria das crianças fazerem as refeições enquanto assistem à televisão. Este hábito compromete a qualidade alimentar, pois, à medida que a criança está distraída com a programação, o desinteresse pela comida é induzido.

Dessa forma, os pais precisam estar atentos, pois uma nutrição desequilibrada pode afetar o crescimento, diminuir o desenvolvimento escolar, comprometer a imunidade, desenvolver desconfortos gastrointestinais e até mesmo intolerâncias alimentares.

Entretanto, várias são as formas de se iniciar uma mudança. “Começar pelo bom exemplo é uma ótima ideia. Não adianta querer que seu filho deixe de comer mal se você come mal, pois você é o maior exemplo. Aposte em uma refeição em família, com uma mesa bem bonita e convidativa. Escolha uma receita saudável, leve-o para ajudar na escolha dos ingredientes e depois o chame para te ajudar a cozinhar. Preparar uma receita desperta muito interesse nas crianças e vontade de experimentar”, sugere a especialista.

Outra dica dada pela nutricionista é desligar todos os aparelhos eletrônicos e investir em um precioso momento de refeição: “Tenha paciência e, se necessário, ofereça várias vezes o mesmo alimento preparado de diferentes formas. No inicio não é fácil, mas com muita persistência, orientação e amor, o resultado é compensador”, afirma.

E para quem acha que não vai conseguir promover essa mudança de hábitos sozinho, há alternativas oferecidas por profissionais de nutrição que ajudam bastante. O Centro de Nutrição Flávia Cyfer, por exemplo, desenvolve um programa de nutrição infantil em casa. O programa se divide em etapas, que passam pela avaliação física e clínica da criança, aplicação do exame de intolerância alimentar Food Detective, entrevista com o responsável, entrevista com funcionários (babá/empregada e cozinheira), correção de erros habituais, planejamento alimentar individualizado, adequação da cozinha, treinamento de babás e cozinheiras e atividades lúdicas de acordo com a faixa etária da criança para que ela se eduque nutricionalmente. “O engajamento de toda a família e funcionários durante o programa é fundamental e garante grandes resultados. Ver a mudança na mente, na geladeira e nos hábitos de todos da casa é incrível”, conta Flávia Cyfer, nutricionista do Centro de Nutrição Flávia Cyfer.”

Fonte: A+ Comunicação

Comente via facebook
Deixe seu comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? clique aqui
Topo
Mais Lidos do Blog
Fique conectado com a gente!
  • Boa reflexão!
YouTube
Se inscreva!